Pais, filhos, e seus comportamentos


O velho ditado popular: "Melhor prevenir que remediar", ganha grande significado na questão família diante do perigo dos conflitos e problemas no lar. Os pais desempenham papel fundamental neste contexto, pois um dos principais fatores que motivam os filhos, principalmente adolescentes, a manifestarem-se revoltados é a rejeição. Essa rejeição se dá através da falta de atenção, tempo, compreensão, diálogo, companheirismo, afetividade e valorização. Quando os pais entendem que as outras coisas de seus interesses possuem mais valor que seus próprios filhos. Imaginam que certos sacrifícios em favor de seus filhos não compensam. Que é desnecessário, vez por outra, ir a escola do filho pra acompanhar seu desempenho de aprendizagem. Que se habituaram a criticar, valorizando somente o que entendem como aspectos negativos em seus filhos. Que constantemente proferem palavras somente de críticas, nunca de elogios, motivação ou apreciação. Que a própria conduta, como pais, não apresente um bom modelo a ser seguido. Todas estas características aqui relacionadas, fortalecem o sentimento de rejeição. Fica aqui, então, o apelo aos pais: amem os filhos e dispensem tempo a eles. sejam seus melhores, grandes e íntimos amigos, é o remédio preventivo mais eficaz contra qualquer sentimento de revolta ou rejeição. Aos filhos cabe o dever de respeitar, considerar e obedecer aos pais:"Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra". (Ef.6.1-3)